A LINGUAGEM CORPORAL- GRAFOLOGIA

A linguagem corporal e as Expressões são universais, as emoções são as mesmas sejam donas de casa, ou homens bomba. A verdade está escrita em todas as nossas faces.

Apenas 7% de nossa comunicação é verbal, ou seja por palavras. Os 93% é não verbal ou seja por gestos. 93%... Pensem nisso! Tem que vir com tom de voz, postura, micro expressões faciais e vários gestos que podemos usar. Damos muita importância aos 7% de palavras. Não deveríamos fazer isso.

A LINGUAGEM CORPORAL




A linguagem corporal foi uma das primeiras formas de comunicação humana e continua sendo uma das mais fortes e expressivas. A Linguagem corporal vem sendo utilizada a milhões de anos e está relacionada principalmente no comportamento humano. 

É competência obrigatória no mundo corporativo e para quem interage diariamente com pessoas, pois no relacionamento, se conhece melhor o ser humano e seus comportamentos. É usada em áreas mais importantes de instituições como no Recrutamento e Seleção de Pessoal, Vendas, Negociações, Terapias, Interrogatórios e etc. Muitas empresas aderem ao uso da análise do comportamento não verbal, para identificar nos funcionários a veracidade de informações que apresentam em entrevistas.

Mesmo na publicidade a linguagem corporal é essencial. Para um ator passar transparência e convicção em apresentar determinado produto, precisa-se de um extremo auxílio dos gestos e do comportamento para transmitir boa impressão, credibilidade e determinação para os telespectadores. 

Seja nas vendas ou negociações, gestos que devem ser feitos, e gestos que devem ser evitados, tem que se ter atenção redobrada. Principalmente na postura comportamental. Nos interrogatórios e no Recrutamento e Seleção, identificar uma fraude ou mentira, é crucial. 

Também na oratória e na política, a linguagem corporal tomou lugar em séculos recentes. Para palestrar e apresentar ideias de governo, o comportamento e o modo na gesticulação, é fundamental para não ver um público com caras entediadas, ou perder metade dos votos por falta de credibilidade. A comunicação não verbal, tem mais de 90% de impacto do que as palavras. Portanto, saber lidar com seus próprios gestos nesses casos, é a contrapartida competente peculiar que se requer.

Publicitários, Políticos, Oradores, Palestrantes, Vendedores, Executivos, Policiais, Agentes de Segurança e Entrevistadores de Seleção,  precisam de um especialista em linguagem corporal.

Contribuem para o estudo da Linguagem Corporal a Cinesiologia, ciência que analisa o movimento do corpo humano, a Paralinguagem, a PNL – Programação Neuro-Linguística, a Neurociência, a Psicologia, a Proxêmica e a Oratória.

Como seres humanos, podemos escolher palavras, criar imagens, fazer abstrações e mentir utilizando sobretudo o neocórtex, porém o sistema límbico, responsável pelos sentimentos, envia impulsos elétricos ao corpo, gerando expressões e movimentos, muitas vezes sem nos darmos conta deles. E eles, são os que contradizem o que falamos.

Muitos especialistas se debruçam nesta área, pois podemos perceber através dos gestos e expressões faciais se o que uma pessoa está dizendo condiz exatamente com seus sentimentos e reais intenções; caso contrário, estará mentindo e o especialista saberá.

AS EXPRESSÕES FACIAIS E AS MICRO EXPRESSÕES


micro expressão é uma expressão facial involuntária mostrada na face do ser humano, quando este tenta esconder uma emoção. Elas costumam ocorrer em situações de tensão, onde as pessoas têm algo a perder ou a ganhar. Diferentemente das expressões faciais normais, é difícil disfarçar uma micro expressão. Elas ocorrem em menos de meio segundo, e são contrações, que somente o especialista consegue identificar pelas tensões que são produzidas nas AUs (Unidades de Ação Facial). Nos estudos das micro expressões, entram também as macro expressões, que são contrações mais abrangentes e perceptíveis. Em caso te nervosismo agudo, poderemos perceber contrações assimétricas em várias regiões do rosto. Os tipos de micro expressões se dividem em dois subgrupos;

Comuns
Aparecem quando as pessoas tentam deliberadamente ocultar suas emoções (ou inconscientemente reprimir suas emoções), visível apenas a pessoas treinadas.
Sutis

São "mini" movimentos faciais que muitas vezes aparecem em apenas uma região do rosto: as sobrancelhas, pálpebras, bochechas, nariz ou boca. Esses pequenos movimentos podem ocorrer quando uma emoção começa gradualmente. O indivíduo apresenta uma expressão tão leve pode não ter ainda percebido que ele ou ela é mesmo um sentimento de emoção.

Demonstrações Básicas das Expressões - Neutra- Raiva- Desprezo- Desgosto- Medo- Tristeza- Surpresa- Sorriso Falso- Sorriso Verdadeiro- Vergonha.


A GRAFOLOGIA

A Grafologia é a ciência de método que define a personalidade por meio da escrita de seu autor. Esse método é regido por leis e regras claras e compreensíveis ao alcance. Sem tais regras, é impossível realizar uma análise grafológica. As regras para análise em suma implicam em milhares. As principais são a observação de escritas ascendentes, descendentes, torções nas escritas, balanceamentos, pressão e diversas outras regras de análise, bem como signos e sinais especiais que compõe assinaturas rubricas. 

Na Grafologia o traço gráfico é a dimensão exterior de nossa personalidade, ou sentimento momentâneo. O cérebro comanda a escrita. A mão somente realiza o traço gráfico. Qualquer alteração corporal ou fisiológica altera o gesto da grafia. Por isso, a escrita de pessoas com resfriados, dores de cabeça, febres aparecem com uma série de torções e outras particularidades significativas de cada indivíduo. E cada particularidade, indicarão flechas de outros significados. Sempre levando em conta a capacidade de motriz e circunstância do indivíduo.

Em assinaturas os signos especiais geralmente são analisados individualmente. Pessoas que realizam a assinatura rubricando a primeira letra do primeiro nome e escrevendo o sobre nome, indicam gosto por ritos sociais, postura ética, seguidor de normas etc. Uma pessoa que ao terminar a rubrica, puxar o traço gráfico sublinhando toda sua assinatura indica autovalorização, satisfação e etc. Porém, o sublinhado difere se for cortando a assinatura no meio. Neste caso, pode indicar auto-rejeição, insatisfação. 

Apesar de muitos rejeitarem a grafologia como sendo algo fútil, ela é usada muitas vezes inconscientemente por empresas e situações importantes no mundo todo. Para um reconhecimento de firma, o cartorário ou escrivã necessita de modo inconsciente a prestar atenção na assinatura de uma ficha com a do documento para afirmar a legibilidade de que o documento foi realmente assinado por quem o aprovou.

Atualmente a ciência tem sido utilizada por muitas empresas para o recrutamento e seleção. Profissionais da Psicologia tem se dedicado também a ciência para ser aplicada em seu pacientes. Além de tudo, a grafologia também pode ser usada no descobrimento de possíveis doenças. Porém, é válido lembrar que somente um profissional da saúde poderá dar efetivo ao laudo. Indo mais além, o Código Brasileiro de Ética do Grafólogo da SOBRAG em seu §4º artigo proíbe a prática. Em séculos passados, a grafologia também era de importância para muitos médicos. Nestes casos a grafologia era de uso consciente de forma regrada. Para alguns policiais e órgãos de investigações a grafologia também é de uso importante. 

Nos bancos é crucial uma análise para autenticar uma assinatura realizada em um cheque por um cliente. Em outras instituições financeiras da mesma forma se dá com contratos e documentos oficiais. Porém, a "análise" é realizada sem nenhum instrumento ou regra grafológica ou grafotécnica. O responsável somente passa os olhos por cima das assinaturas muitas vezes de forma intuitiva para verificar a veracidade por comparação; quando nesses casos, deveria ser realizado por uma minuciosa análise.

A algum tempo atrás fui a um cartório para reconhecer firma de uma procuração. Quando entreguei o documento que havia sido assinado por outra pessoa, a escrivã comparou a assinatura do documento, com a da ficha. Porém ela havia dito que o responsável pelo documento deveria estar presente, pois a assinatura não teria "batido" com a da ficha. Mal sabia ela o que era uma grafotécnica. Pois os traços e ondas gráficas eram as mesmas do autor. A ilegibilidade da assinatura apenas continha pequenas diferenciações em letras ovais por motivo do autor no momento da assinatura estar com preocupação estrema. É uma forma de se precaver, claro! Porém, todo cuidado é pouco.

O uso da grafologia por algumas pessoas é totalmente conservador e ético. Porém não agrada a nós grafólogos sérios, ter conhecimento da mistura da ciência com misticismo inserindo em "advinhas" "tarôs" "umbanda" e etc. Chega até a gravidade da situação de charlatões colocar velas e incenso ao lado da escrita. O Código de Ética da SOBRAG em seu artigo §10º orienta repúdio a tal prática.

Conclui-se que quando escrevemos, transmitimos na escrita, o que somos e o que pensamos. E assim como na impressão digital, a escrita ou assinatura é única e inimitável. Não existem duas iguais.